Exposição CON.AMORE

Há obras que nos são especiais.
Será pelo cliente?
Pelo processo?
Pelo produto final?

Os seis edifícios que projetámos e construímos no Campus de Pesquisa e Desenvolvimento (R&D - Resarch & Development) da empresa de cosmética Amore-Pacific, na Coreia do Sul, são-me especialmente queridos no panorama das obras que vimos a desenvolver na Ásia, há já alguns anos.

Possivelmente porque nós percebemos, o cliente percebeu e todos envolvidos na construção demonstravam perceber.

Não são tortos nem disformes e tudo está no lugar.
Possivelmente por isso não lhes foi dada a atenção e estudo que, julgo, merecerem.

É pena que não sejam visitáveis pois, é minha opinião, vale a pena.

Viajar e visitar arquitetura é certamente a melhor maneira de a perceber e assim aprender.
Mas há todo um trabalho de bastidor ou escritório que cada vez mais é menosprezado e que, por isso mesmo, me parece interessante expor.

Esta exposição é o trabalho, o muito trabalho, que é necessário para se construir na Coreia do Sul, para um óptimo cliente com a ajuda de uma grande equipa onde está incluído, também, o empreiteiro.

Carlos Castanheira